CBF tá tranquilo, tá sossegado! Manda quem pode, obedece quem tem juízo.

campo-vazio

Boa reflexão sobre a necessidade do remodelamento do cronograma de jogos e campeonatos dos clubes brasileiros, o jornalista Rodrigo Capelo apresentou a necessidade dessa reformulação, perante ao anuncio da Conmebol pelo seu representante Alejandre Domínguez, irão mudar o calendário da Libertadores (Fevereiro a Novembro) e SulAmericana (Junho a Dezembro), deixando mais longo o período de competição.

O calendário da CBF não se enquadra a essa nova realidade da Conmebol, dessa maneira as equipes terão que escolher qual campeonato participar, ou se enquadrar a realidade de calendário novo. Todos nós sabemos que a média de público desses campeonatos internacionais são bem melhores que nossos campeonatos estaduais, dessa maneira qual sentido de sacrificar a participação com foco na Libertadores ou Sul Americana para participar do estadual?

Tem sentido manter campeonatos estaduais com retorno de patrocínios comprometidos, sem um grande nível de competitividade, para deixar de jogar campeonatos com times fora do Brasil e que ultimamente estão levando a Libertadores.

Financeiramente o que vale mais?
Ficar sentado assistindo nossos campeonatos perdendo atratividade de patrocínio, público e transmissão. Ou começar a reestruturar um novo ano de campeonatos que impulsionam o crescimento do esporte?

Essa relação financeira está amarrada em diversos fatores, se não tem torcedor nos estádios ou assistindo o jogo, não teremos cobertura ou patrocínios interessados em manter a competição, “sem convidados não há festa”. Manter um campeonato nacional, cada vez mais, está difícil fechar as contas!

Sem contar com as janelas internacionais de compra de jogadores, que pode levar um time do céu ao inferno em questão de algumas rodadas. Como é para uma equipe que está lutando pela liderança, perder seu atleta que está colaborando muito com o crescimento da equipe? São outras grandes preocupações que se juntam com jogos das seleções e por aí vai.

Quais são as medidas que a CBF está tomando?

Quando teremos evidentemente mudanças que irão voltar a criar interesse do público com futebol? Não que esteja tão ruim, mas o valor “gigante” valor de investimento, já não bate com retorno de Awareness para o patrocinador e emissora que está transmitindo.

Sabe quem vai acabar pagando esse “pato”?

É o jogador que terá que jogar mais partidas em um curto espaço de tempo. É o clube que terá que desembolsar maior valor para manter viagens e gastos com a equipe. É o torcedor que não aguenta mais os campeonatos estaduais e o nacional sem competitividade. É o patrocinador que quer ter um retorno maior de Brand Awareness e ve esse retorno de imagem caindo. É a emissora que não aguenta fazer um grande investimento para transmitir jogos sem telespectadores.

 

 


Comentar via Facebook

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *