Ter o Ronaldinho é a salvação?

Recentemente publiquei uma matéria avaliando a vantagem ou desvantagem de ter Ronaldinho Gaúcho no time. Acredito que agora é um ótima momento para voltar falar sobre esse tema, com o acordo fechado de rescisão do contrato do jogador com o clube. O Fluminense demonstra gratidão pelo retorno de marketing que tiveram na contratação, com vendas de camisas, aumento de vendas de ingressos e outros serviços.
Você realmente acredita que esse resultado foi bom? O Flamengo também não admitiu que não soube explorar bem a imagem do atleta, será que o Fluminense foi no mesmo caminho?

Todo mundo conhece a história desse jogador, uma história de sucesso e muitas polêmicas. O que sempre prevaleceu foi o peso de sua marca, que mesmo com a idade avançada traz credibilidade por sua entrega de marketing. Pena que nem todos clubes sabem aproveitar a oportunidade de marketing que o jogador pode oferecer, afinal já vimos casos de fracasso, inclusive com próprio Ronaldinho no Flamengo.

Ronaldinho Gaúcho ficará no Flamengo até a Copa de 2014

Ronaldinho Gaúcho ficará no Flamengo até a Copa de 2014

O plano que o Fluminense realmente incontestável, o que não foi incontestável foi a seguinte desculpa:

A defesa do marketing do Fluminense em relação aos resultados modestos era de que havia pouca receita disponível para o departamento graças às dificuldades financeiras vividas desde 2013, com a intensificação das penhoras da Fazenda Nacional no clube. Agora, com a necessidade de viabilizar Ronaldinho, a tendência é que o investimento no setor volte a subir.  Fonte UOL Esporte

Não ter dinheiro é desculpa para não ter ações de marketing? Por que? Não acreditar que não ter dinheiro é o grande motivo e incentivo para se criar grandes ações de marketing. Esse segredo está simplesmente no conceito da palavra “CRIATIVIDADE”:

Criatividade é o substantivo feminino com origem no latim creare, que indica a capacidade de criar, produzir ou inventar coisas novas. 

Quando falamos em criatividade na gestão esportiva, falamos em como criar ações novas que incentivem novos investidores a apostarem no clube. E não a criatividade de convencer novos patrocinadores para expor sua marca na camisa, coisa comum na maioria dos clubes. Difícil criar receita para o clube, mas a criatividade e procura de referencias colaboram para produção e invenção de coisas novas, isso falta e muito no mercado.

fluminense

Sempre ouvi de meu chefe: “Seja criativo”. Que era a mesma mensagem e significado de: “Não temos grana”. Nesses desafios que surgem os projetos memoráveis e com bom retorno, por que afinal isso é o que importa para o mundo corporativo. Não que a grana não ajuda, por que facilita e muito, mas com pouco podemos fazer muito no esporte.

Acompanhe também a matéria que gravamos sobre o tema:


Comentar via Facebook

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *