Batalha das Marcas Esportivas

adidas-nike

O futebol é o esporte mais popular no mundo, dando às marcas e patrocinadores acesso a uma base de clientes a nível global. Nos últimos anos tem acontecido uma cascata de gastos das marcas para deter os direitos de fabricar material esportivo de clubes de futebol na elite Europeia.

O Barcelona assinou recentemente uma extensão recorde de contrato a longo prazo com os fabricantes de material esportivo americano, a Nike, que o fará ganhar £ 140m por temporada a partir de 2018. Este acordo bate o recorde anterior mantido pelo Manchester United com a Adidas. Enquanto isso, o Chelsea cortou sua parceria com a Adidas e assinou com a Nike um contrato de 15 anos.

Há uma corrida “pesada” e “constante” entre marcas para dominar o mercado, com Adidas e Nike atualmente a frente. Mas quem está na liderança? Aqui estão as 10 principais ofertas mais caras neste momento:

ranking-patrocinios

Embora a Nike possa se gabar do negócio mais caro, a adidas detém 5 dos 10 maiores negócios na Europa. De acordo com Andrew Walsh, especialista em futebol da Repucom, é uma questão de qualidade sobre a quantidade.

Adidas pode ter a mão superior quando se trata do mercado de material esportivo, no entanto, a Nike tem uma grande vantagem quando se trata de patrocínio de jogadores. Cristiano Ronaldo assinou um “acordo eterno” com a Nike. Com 48 milhões de seguidores no twitter, Ronaldo tem a maior presença na mídia social do que qualquer outro jogador. Isto é impagável para marcas como mídia social é uma ótima maneira de acessar e transformar clientes em compradores, especialmente para os mais jovens. Ronaldo usa frequentemente o twitter para promover produtos da Nike.

Outras marcas notáveis podemos considerar a PUMA empresa alemã que fornecem materiais esportivos para Arsenal, Borussia Dortmund e o campeão Inglês Leicester City. Eles também patrocinam vários jogadores da Premier League, incluindo Sergio Aguero e Cesc Fabregas. No entanto, por enquanto, Adidas e Nike continuam a dominar o mercado.

Fonte: FutureSport   Escrito: Thomas Hirst


Comentar via Facebook

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *